Skip to main content

{Resenha} Eleanor e Park – Rainbow Rowell

Compartilhe!

  Romance/328 páginas/ Editora Novo Século

“A gente acha que abraçar uma pessoa com força vai trazê-la mais para perto. Pensamos que, se a abraçarmos com muita força, vamos senti-la, incorporada em nós, quando estivermos longe.”

Meu primeiro livro da brilhante, Rainbow Rowell. Sim, o adjetivo só poderia ser de brilhante para cima, um livro incrível e realmente superou minhas expectativas. Nota? Bom, 1000 poderia ser considerado uma espécie de hipérbole para alguns, mas não para mim, 1000, para um livro que mexeu completamente comigo.

O romance é datado no período de 1986, mas não deixe que isso de alguma forma interfira na sua percepção do quão atual a história se torna no decorrer da leitura. Eleanor volta para casa depois de passar um ano longe da família e ela, não é daquele tipo de ‘garota padrão da sociedade’, pois é gordinha, usa roupas largas e o cabelo ruivo e volumoso do jeito que bem entende. Claro, hoje sabemos que as pessoas se vestem como querem e esse tabu já está sendo mais ultrapassado, porém, o preconceito ainda existe, ainda mais para Eleanor. Lutando contra todas as suas aspirações sobre como seria sua volta para casa terrível, ela decide enfrentar mais essa etapa de sua vida.

No entanto, talvez você esteja se perguntando: “Qual é o problema com a família da Eleanor?” Bem, essa pergunta é fácil de responder, não de aceitar. Eleanor nos conta sobre sua família constantemente durante a leitura, na verdade, esse é um dos núcleos do livro, pois a família, como bem sabemos, influi em toda a nossa vida. A mãe de Eleanor é separada e seu pai não gosta dela, só liga quando precisa de algum favor da filha, como serviço de babá prestado por ela para cuidar do seu “meio-irmão”.

Junto com a mãe e mais três irmãos, convivem em uma casa pequena demais para um família grande e com crianças, a coisa piora quando o padrasto de Eleanor entra na história. Um homem problemático desde a adolescência, alcoólatra e com fortes tendências violentas. Ele odeia Eleanor e tudo o que representa, aliás, ele afirma afirma que odeia toda a família.

É por isso que Eleanor vive em constante ansiedade e preocupações, tudo na sua vida é ruim, sem privacidade e muitas vezes, sem alimento. Sim, eles enfrentam problema quanto a alimentação para todos. Isso porque Richie, o padrasto, gastava com bebida. Eleanor não tinha amigos, não tinha a mãe, ninguém que a ajudasse a superar ou pelo menos a tirasse por breves minutos de sua triste realidade.

Mas a vida é uma caixinha de surpresas, não concordam? Num belo dia, quando Eleanor está esperando o ônibus para a escola nova, ela conhece um garoto asiático chamado, Park. E como ela é a garota nova e esquisita, ninguém quer sentar ao lado dela, porém, depois de muito relutar, Park oferece o lugar vazio ao lado dele para ela se sentar.

Ele ouvia música e lia seus gibis. E essa era a rotina de Eleanor todo dia no ônibus ao lado de Park, em silêncio, até a escola.

Mesmo sem nenhuma interação, Park não parava de pensar em Eleanor e seu jeito despojado de ser, como se ela fizesse o esforço para sofrer deboches dos alunos e aquilo o intrigava, ela era diferente, queria ser diferente.

image

 

Até  Park perceber que, enquanto ele lia seus gibis, Eleanor acompanhava com os olhos a mesma história. Então ele passou a inclinar mais pro lado dela e passar as folhas lentamente para que ambos pudessem ler, embora sem se falar.

Após isso, Park passou a emprestar várias revistas para Eleanor e no dia seguinte ela devolvia todas lidas. Daí em diante surgiu uma amizade entre os dois.

O narrador é onisciente, dessa forma, sabemos quais os pensamentos dos personagens e a leitura fica cada vez mais cativante!

Eles então começam a se relacionar, claro que o livro não narra nada impróprio! Então podem ficar tranquilos 🙂

image   E junto com Park, Eleanor consegue um alívio de sua vida tão conturbada.  Ela conhece a família de Park e depois de vários encontros, acaba ganhando a mãe do garoto.

Mesmo Park não sofrendo na escola, Eleanor por ser sua namorada não passa despercebida. Ela é constantemente alvo de piadinhas na escola e outras ações constrangedoras.

Park era tudo para ela, da mesma forma que Eleanor era para Park. Isso pode ser clichê, mas é emocionante de acompanhar.

Mas claro, muita coisa ainda acontece entre eles e tudo vai indicar se vale a pena amar tanto alguém e se você está disposto a abrir mão do que é importante para você por essa pessoa.

Existem opiniões divergentes sobre o final da história, mas se você é aquele leitor que gosta de imaginar como ficarão os personagens depois do final, isso será bastante interessante para você, assim como foi para mim!

Tire o seu proveito da história, Eleanor e Park é um livro que com certeza, recomendo!

image

 

4 comentários em “{Resenha} Eleanor e Park – Rainbow Rowell

  1. Obrigado pri. pela recomendação, especialmente para aqueles que se sentem excluídos tanto na escola como no trabalho, por serem diferentes ou eles mesmo. Assim sera um prazer viajar nesse lindo romance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mostrar
Esconder