Skip to main content

{Resenha} A Bela e a Fera- Clarice Lispector

Compartilhe!

    Coletânea de Contos/ 110 páginas/ Editora: Rocco

   “- É preciso saber sentir, mas também saber como deixar de sentir, porque se a experiência é sublime pode tornar-se igualmente perigosa. Aprenda a encantar e a desencantar.”

Hoje trago à vocês o meu primeiro livro de contos póstumos da Clarice Lispector, uma das minhas escritoras favoritas. Eu li esse livro já faz um tempo, mas tenho um carinho especial por ele, pois foi um presente! Esse volume reúne uma coleção de oito contos, divididos em duas partes.

Caso não esteja acostumado com a narrativa de Clarice, não fique surpreso ao ler sua obra e achá-la com um caráter intimista, pois parece que a autora escreve para si mesma. Muitos não a compreendem, outros sentem um misto de admiração e confusão por suas obras. Nada disso é estranho, já que as obras Claricianas refletem o psicológico da autora e ao mesmo tempo, confunde e instiga o nosso.

Suas obras são repletas de psicologismos e reflexões sobre a vida, o que não é diferente com esse. Alguns contos e não ouso dizer todos, desse livro, são melancólicos, porém muito fortes para meditar.

“Sorri um sorriso triste. . .

Quem de nós já não sorriu por fora, enquanto desmoronava por dentro? Embora as situações lembrem o cotidiano da autora, os leitores atuais não deixam de ter a sua versão da história através das palavras dela.

Além disso, no último conto, gostei muito da reflexão social que ela deixa para o leitor de forma tão simples e escancarada.

“De repente sabia: esse mendigo era feito da mesma matéria que ela. Simplesmente isso. O “porquê” é que era diferente.”

Situações corriqueiras que a maioria de nós já nos deparamos na vida real mas não pensamos a respeito e, Clarice com sua criatividade gélida, nos soca a boca do estômago com suas verdades cruas. Então, caso ainda não tenham lido nenhum conto da autora, sintam-se à vontade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mostrar
Esconder