Skip to main content

{Resenha} A revolução dos bichos – George Orwell

Compartilhe!

   Literatura Internacional – Clássico/ 156 páginas/ Editora: Companhia das Letras

“O homem não busca interesses que não os dele próprio. Que haja entre nós, animais, uma perfeita unidade, uma perfeita camaradagem na luta. Todos os homens são inimigos, todos os animais são camaradas.”

Foi com a conclusão dessas palavras que todos os animais da Granja do Solar declararam o início de sua revolução. Eles ouviram todas as instruções de como seria esse tempo de luta pela liberdade de animais diante dos humanos. O velho Major, o porco mais velho da granja, passou seus ensinamentos aos outros animais que facilmente foram conduzidos pela ideia de revolução.

Isso porque todos estavam cansados de serem explorados pelos humanos e a partir daquele dia, iriam em frente com a ideia do Major e logo, criaram o seu próprio sistema de governo: O Animalismo. O que podemos resumir, dentre os sete mandamentos criados, em um:

“Quatro pernas bom, duas pernas ruim.”

Durante a história, alguns animais vão ganhando destaque, seja por sua liderança sobre os outros, como era o caso dos porcos, já que eram mais inteligentes que os demais. Além do cavalo Sansão, que mesmo tendo aprendido apenas as quatro primeiras letras do alfabeto, era um perfeito trabalhador: nunca cansava de trabalhar e não reclamava dos seus novos patrões(porcos).

Após a tomada da fazenda onde viviam, foi assim que a vida seguiu para os animais. Eles não mais comeriam uns aos outros, seriam todos iguais e viveriam em fartura de alimento, pois não precisariam mais dividir com os humanos. É claro que, na teoria, tudo é muito bonito. Mas vamos para a prática do Animalismo? Preste bastante atenção em como começou a ser o funcionamento da Granja do Solar, ou seria melhor dizer, Granja dos Bichos. E quem sabe, ao final dessa resenha, você descubra com que animal se identifica. ( Não se sinta ofendido, nós humanos não estamos muito longe dos animais neste comparativo).

Como natural de todos nós, estamos sempre querendo levar vantagem em cima de outros, caso você ache que estou sendo equivocada, quantas vezes você já utilizou do “jeitinho brasileiro” para se sair de alguma situação? Desculpem entrar em um assunto um tanto que polêmico, mas é em paralelo com a nossa realidade que o senhor Orwell construiu sua fábula. Entenda “nós” como todas as formas de governo.

Os porcos, por serem os animais mais engajados e espertos dentre os demais animais, acabaram tomando a liderança. E com todo esse poder, começaram a usufruir de privilégios. Diziam que nenhum animal jamais poderia matar outro, a menos que. . . fosse necessário! Perceberam a reinstituição que agora eles faziam com a própria lei? Como se chama isso nos dias de hoje? Emendas?

 

E como em todo governo autoritário, existem pessoas contra, mas também a favor. Isso mesmo, os alemães não veneravam Hitler? Mas não vamos nos aprofundar no assunto. O ponto é, na granja dos bichos, haviam aqueles leigos que eram apenas jogados de um lado para o outro com fantasias e migalhas, que aceitavam tudo como se estivessem vivendo melhor do que antes e as novas medidas, eram precisas, pois eram novos tempos. E sabem o que isso significa? Com o tempo, o lema passou a ser:

“Todos os bichos são iguais, mas alguns bichos são mais iguais que outros.”

Tudo isso é como uma forma de ludibriar os animais diante da tirania agora presenciada por eles. O único a não se envolver em nada, era o velho burro Benjamin, que apenas observava o curso da história, não era um ignorante, entendia muito bem o que estava acontecendo, apenas não fazia nada porque estava fora de seu controle.

E assim era a vida na Granja dos bichos. Será que eles conseguem viver, mesmo que em um futuro distante em harmonia? E os humanos, não fazem nada diante disso? Os outros bichos não reivindicam por melhoras? O que Orwell preparou para o final dessa inteligentíssima fábula, você confere com a leitura do livro.

George Orwell criou uma sátira com A Revolução dos Bichos sobre o governo totalitário na antiga União Soviética e que depois foi usado na época da Guerra Fria como um instrumento anticomunista. Apesar de se declarar Socialista e a história ser criada especialmente para os regimes políticos da época, esse livro é uma verdadeira afronta para qualquer governo humano nos nossos dias. Basta-se fazer algumas analogias. . . haha

Enfim, espero que enriqueçam seu conhecimento e procurem ser como Benjamin, esperto mas cauteloso e na hora certa a verdadeira intervenção virá com o seu governo justo! 🙂

 

4 comentários em “{Resenha} A revolução dos bichos – George Orwell

  1. Interessante! esse livro retrata a necessidade que o inteiro planeta precisa de mudanças urgentes voltadas para o bem comum de todos inclusive os animais.Ainda bem que já existe um Governo que dentro em breve fará isso.Vou incluir o livro na mina lista que só tende a aumentar com seus incentivos.Parabéns!!!!

  2. Esse livro parece ser muito interessante, está na minha lista há tempos! Hahaha
    E sua resenha ajudou a aguçar ainda mais a minha curiosidade. Quem sabe assim eu não tomo logo a iniciativa de passar A Revolução dos Bichos da minha lista de “livros que quero ler” para a lista de “lidos”? :3
    Parabéns pelo blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mostrar
Esconder